Morte da banda Mamonas Assassinas completa 25 anos

Nesta terça-feira (2) completa 25 anos que o grupo Mamonas Assassinas morreu em um acidente aéreo sobre a Serra da Cantareira. Dinho, Bento Hinoto, Júlio Rasec, Samuel Reoli e Sérgio Reoli eram integrantes do grupo.

Na época, o acidente causou comoção nacional. A carreira da banda durou um ano e meio, de outubro de 1994 a 2 de março de 1996. Mesmo após a tragédia, a banda continuou influenciando o cenário musical nacional.

Mamonas Assassinas em Blumenau: ano passado fez 25 anos do show que colocou 42 mil pessoas na Prainha

A banda Mamonas Assassinas foi um dos maiores sucessos relâmpagos que a música brasileira já produziu. Dinho, Bento Hinoto, Júlio Rasec, Samuel Reoli e Sérgio Reoli tiveram apenas um álbum lançado, que, no entanto, vendeu mais de três milhões de cópias e fizeram praticamente todas as faixas estourarem Brasil afora.

Pouco menos de cinco meses antes da tragédia de avião que matou os cinco integrantes da banda, no dia 22 de outubro de 1995, eles estiveram em Blumenau e fizeram aqui um dos maiores shows da breve carreira. Cerca 42 mil pessoas lotaram a Prainha para acompanhar a apresentação. Hoje, 25 anos depois, o jornal O Município Blumenau traz uma reportagem especial sobre este dia.

A banda Mamonas Assassinas foi um dos maiores sucessos relâmpagos que a música brasileira já produziu. Dinho, Bento Hinoto, Júlio Rasec, Samuel Reoli e Sérgio Reoli tiveram apenas um álbum lançado, que, no entanto, vendeu mais de três milhões de cópias e fizeram praticamente todas as faixas estourarem Brasil afora.

Pouco menos de cinco meses antes da tragédia de avião que matou os cinco integrantes da banda, no dia 22 de outubro de 1995, eles estiveram em Blumenau e fizeram aqui um dos maiores shows da breve carreira. Cerca 42 mil pessoas lotaram a Prainha para acompanhar a apresentação. Hoje, 25 anos depois, o jornal O Município Blumenau traz uma reportagem especial sobre este dia.

A banda Mamonas Assassinas foi um dos maiores sucessos relâmpagos que a música brasileira já produziu. Dinho, Bento Hinoto, Júlio Rasec, Samuel Reoli e Sérgio Reoli tiveram apenas um álbum lançado, que, no entanto, vendeu mais de três milhões de cópias e fizeram praticamente todas as faixas estourarem Brasil afora.

Pouco menos de cinco meses antes da tragédia de avião que matou os cinco integrantes da banda, no dia 22 de outubro de 1995, eles estiveram em Blumenau e fizeram aqui um dos maiores shows da breve carreira. Cerca 42 mil pessoas lotaram a Prainha para acompanhar a apresentação. Hoje, 25 anos depois, o jornal O Município Blumenau traz uma reportagem especial sobre este dia.

O Skol Rock era um evento público. Organizado pela Assessoria de Assuntos para Juventude, no qual Fabrício era o responsável, com patrocínio da cervejaria Skol, que queria entrar em Blumenau naquela época, em que a Oktoberfest era patrocinada pela Brahma. Esse interesse da cervejaria fez com que a empresa bancasse tudo “até o prego dos taludes ao redor na Prainha”, aponta Fabrício.

O evento acontecia durante a Oktober, e por isso, os turistas acabavam aproveitando também os shows e faziam uma espécie de “esquenta”, para depois irem aos pavilhões. No primeiro ano, o evento foi totalmente gratuito.

Porém, isso fez com que não houvesse bilheteria, o que trazia um risco, com a possibilidade das pessoas entrarem com objetos impróprios e etc. Pensando nisso, em 1995, o Skol Rock começou a cobrar o valor simbólico de R$ 1, para então criar a bilheteria e a partir daí realizar as revistas.

Mas como para o show do Mamonas Assassinas o orçamento aumentou em R$ 19 mil, dessa vez, a Skol não quis pagar, ainda mais em cima da hora. Mas Fabrício não desistiu, e juntamente com uma empresa de promoção de eventos – AS Produções – bancaram tudo. Para não sair no prejuízo, cobraram R$ 3 o ingresso, ou R$ 5, para ganhar uma camiseta do evento.

A relação entre Mamonas Assassinas e Blumenau foi breve devido ao acidente em março de 1996. Porém, os dois encontros foram tão marcantes, que, logo após a morte do quinteto, uma missa em homenagem a eles foi realizada no palco do show: a Prainha.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *