WHATSAPP DA CLUBEClique e entre no grupo de notícias da Rádio Clube

Fábrica clandestina de palmitos é fechada pela polícia em Ascurra; alimentos eram resfriados em banheiro

A Polícia Civil, com o apoio da Vigilância Sanitária, fechou uma fábrica clandestina de palmito e prendeu três pessoas em flagrante, em Ascurra. Elas foram presas por crime contra as relações de consumo. Um dos presos também foi autuado pelos crimes de maus-tratos e abandono de incapaz.

>> Receba informações de Blumenau e região no seu WhatsApp

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A ação ocorreu na tarde de terça-feira, 22. As prisões foram realizadas em uma fábrica clandestina no bairro Guaricanas. No local, os investigados produziam palmito em desacordo com as normas sanitárias. Os palmitos eram armazenados no chão, cozinhados de maneira improvisada e resfriados no banheiro em frente ao vaso sanitário ou na chuva em período chuvosos.

As condições de armazenamento dos alimentos eram insalubres. Os investigados não possuíam autorização municipal, estadual ou federal e documentos que comprovassem a origem dos produtos. Ainda, os produtos eram manejados sem nenhum item de segurança e higiene, tendo sido considerados impróprios para o consumo humano pela Vigilância Sanitária.

Na continuidade da diligência foram localizadas duas crianças em uma residência no mesmo terreno da fábrica clandestina e o imóvel estava sujo, bagunçado, com roupas no chão, restos de comida, com roupas espalhadas pela casa, não havendo condições de higiene. Assim, o pai das crianças foi preso pelos crimes de maus-tratos e abandono de incapaz. O Conselho Tutelar foi acionado para dar suporte à ocorrência.

Leia também:

>> Vice-prefeito de Gaspar fala sobre temporal que causou alagamentos na cidade

>> Projeto de blumenauense que tramita desde 1991 pode liberar jogos de azar no Brasil

>> Identificado jovem encontrado morto com marcas de tiros em Blumenau