WHATSAPP DA CLUBEClique e entre no grupo de notícias da Rádio Clube

BR 470: 80% dos terrenos que faltam ser desapropriados estão entre Blumenau e Indaial

O ano de 2022 pode ser o ano da virada de chave para as obras de duplicação de BR 470, já o convênio de R$ 300 milhões com o governo de Santa Catarina junto ao Governo Federal vai auxiliar no principal problema do andamento das frentes de trabalho, as desapropriações.

Foto: Divulgação

Destes terrenos que precisam ser desapropriados, quase 80% estão entre Blumenau e Indaial, região que teve a menor evolução das obras de duplicação desde o inícios dos trabalhos. Hoje existem 103 processos de desapropriação ajuizados, 83 deles no lote 4, entre Blumenau e Indaial. O lote 3 tem oito processos, o lote 2, mais oito e o lote 1 apenas três.

Neste mês de março está previsto um mutirão milionário da Justiça Federal para pagar desapropriações a proprietários de imóveis que estão no caminho das obras. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), há em contas judiciais R$ 18 milhões de orçamentos anteriores para pagar transações. Outros R$ 30 milhões estão separados no orçamento de 2022 — de um total de R$ 81 milhões.

O aumento repentino no pagamento de indenizações em 2022 tem origem no convênio de R$ 300 milhões com o governo de Santa Catarina. Como as verbas estaduais não podem bancar desapropriações, a União direcionou um volume maior de recursos para este fim.

Segundo o DNIT, é preciso investir um total de R$ 150 milhões em imóveis para liberar 100% das margens da rodovia à passagem das máquinas.