Segunda-feira, 20 de novembro de 2017 -

Cedap celebra Dia de Combate a Hepatites Virais com ações educativas

Compartilhe

Em 28 de julho é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, doença que atinge cerca de 20 mil brasileiros por ano. Em Blumenau, no primeiro semestre de 2016 quase 100 novos casos foram registrados. Para marcar a data e reforçar junto à população os cuidados e tratamento da doença, durante a próxima semana, entre os dias 25 e 29 de julho, ações de orientação serão realizadas no Centro Especializado em Diagnóstico, Assistência e Prevenção (Cedap). Além das atividades programadas para a próxima semana no Centro, parte da equipe vai realizar visitas aos colaboradores de duas grandes empresas e um presídio da região, para levar informações de prevenção e material educativo sobre as hepatites, em apoio a campanha do Rotary Hepatite Zero.

Hepatites virais são doenças causadas por vírus que prejudicam o fígado e podem levar a cirrose e câncer. São classificadas por letras do alfabeto: hepatite A, B, C, D e E, sendo as três primeiras as mais comuns. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a hepatite B apresenta cerca de 17 mil casos confirmados a cada ano no país e estima-se que cerca de 14 milhões de pessoas podem já ter sido expostos à doença. Já a hepatite C registra cerca de 6 mil novos casos por ano no Brasil.

Cedap

Em Blumenau, nos cerca de 5.000 testes realizados no CEDAP no primeiro semestre de 2016, foram registrados 46 novos casos de hepatite B e o mesmo número para o tipo C. Em 2015, o 1º semestre tinha 48 casos de hepatite B e fechou o ano com 104 casos. Já para a hepatite C foram 70 casos no 1º semestre no ano passado e 119 no ano todo. O Cedap é o local que a população pode procurar para realizar o teste, exames, receber orientações e acompanhamento para o tratamento da doença, gratuitamente. O Centro funciona das 8h às 17h, na Rua Paraíba, 380, no Centro.

Novos tratamentos

Desde o final do ano passado pacientes de hepatite C com dano significativo ao fígado tem acesso pelo SUS a novos remédios antivirais orais para o tratamento da doença. Trata-se da terapia mais avançada disponível. Ministrados de forma combinada, eles elevam as chances de cura para 90%. Para o médico hepatologista do Cedap, Daniel Fernando Soares e Silva, os novos remédios melhoram bastante a adesão ao tratamento. “Eles causam menos efeitos colaterais e reduzem o tempo de tratamento para 12 a 24 semanas”, diz o especialista.

Compartilhe
COMENTAR COM O FACEBOOK:
Não temos controle sobre os comentários pelo Facebook

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *