Segunda-feira, 20 de novembro de 2017 -

Novo contrato emergencial do transporte pode durar menos de 180 dias

Compartilhe

O terceiro contrato emergencial com a empresa que atualmente presta o serviço de transporte coletivo na cidade de Blumenau assinado na última quarta-feira tem o prazo de 180 dias, mas pode ser mais curto a partir do momento que a empresa vencedora do contrato de concessão do transporte coletivo estiver pronta para operar.

A formalização foi realizada durante reunião entre o prefeito em exercício, Mário Hildebrandt, o presidente do Seterb, Carlos Lange, o procurador geral do município, Rodrigo Jansen e o secretário de Administração, Anderson Rosa.

O contrato com a Piracicabana tem prazo de até 180 dias e será encerrado quando o vencedor da licitação iniciar a operação. O documento atual segue os moldes dos anteriores e já prevê o reajuste da tarifa que passa a vigorar no dia 21 de janeiro.

Enquanto aguarda os encaminhamentos da licitação, que ainda está em andamento e vai escolher a nova prestadora do serviço no município, Hildebrandt avalia como fundamental o novo contrato para a manutenção do serviço, que é essencial para a população. “A Prefeitura tem se empenhado para a pronta conclusão do processo de licitação, no menor prazo possível e adequado aos novos moldes propostos para o transporte coletivo da cidade”, ressaltou. O edital, publicado no dia 15 de dezembro de 2016, e seus respectivos anexos estão disponíveis no site da Prefeitura de Blumenau (www.blumenau.sc.gov.br), no link Serviços – Licitações e no Portal da Transparência, na pasta Consultas Públicas – Concessão Transporte Coletivo.

Baseado nas leis, trâmites jurídicos e prazos necessários para casos de processos licitatórios, está marcado para o dia 30 de janeiro o prazo para empresas interessadas na concorrência, efetuarem a entrega dos documentos solicitados no edital. A abertura dos envelopes com as propostas de preço também inicia nesta data, às 14h. A nova operação ocorrerá em até 90 dias da assinatura do contrato.

Compartilhe
COMENTAR COM O FACEBOOK:
Não temos controle sobre os comentários pelo Facebook

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *