Rádio Clube De Blumenau Doença misteriosa mata mais uma pessoa na Bahia ⋆ Radio Clube de Blumenau Rádio Clube De Blumenau
AO VIVO
Domingo, 01 de agosto de 2021 -

Doença misteriosa mata mais uma pessoa na Bahia

Mais uma pessoa morreu em Salvador, na Bahia, após apresentar sintomas da doença misteriosa que provoca dores musculares intensas e deixa a urina preta. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde do estado da Bahia.

A vítima é um homem que não teve nome e idade divulgados. A vigilância epidemiológica da Bahia abriu uma investigação para apurar se realmente a morte foi provocada pela doença. Os quadros apurados estão sendo tratados como mialgia aguda a esclarecer, pois ainda não há informações sobre as causas. Já foram registrados 52 casos entre 14 de dezembro e 5 de janeiro, e uma das hipóteses é que a doença esteja relacionada ao consumo de peixes, mas ainda não há confirmação.

Amostras de pacientes estão sendo analisadas no Laboratório de Virologia da Universidade Federal da Bahia (UFNA), e a coordenação do laboratório espera ter um diagnóstico mais preciso até amanhã. Amostras de sangue, fezes e urina foram encaminhadas para laboratórios de Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo.

Já as amostras de peixe estão sendo encaminhadas pelo Ministério da Saúde aos Estados Unidos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, exames feitos na água que abastece a cidade descartaram a contaminação. E, até o momento, as orientações passadas para a população são higiene pessoal, o cuidado com alimentos e a busca por uma unidade de saúde nos primeiros sintomas.

doença na Bahia

A estudante Geovana Colavolpe, 24 anos, é uma das 11 pessoas na Bahia que apresentaram os sintomas da doença misteriosa que provoca dores musculares e urina preta.

Ela estava no Litoral Norte, na última semana, com o namorado e um casal de amigos quando perceberam o problema. Todos eles comeram peixe, mas só a estudante e o namorado apresentaram os sintomas.

Eles compraram o peixe conhecido como olho de boi na Praia de Genipabu, região de Guarajuba, na mão de um pescador e fizeram uma moqueca na casa de uma tia.

“A gente comeu na última quinta e sexta, mas foi no segundo dia pela tarde que sentimos uma ‘dorzinha’ atrás do pescoço. À noite, começamos a sentir mais forte, e nas costas. Logo depois, passou para as pernas e braços. Quando percebemos, já estava pelo corpo todo”, contou a estudante.

Segundo a jovem, a dor é muito forte e ficou mais intensa pela noite. “Parece com uma câimbra. Nunca tive essa dor na vida. Não sei nem explicar. No dia seguinte, a sensação era como aquela de quando a gente malha e fica toda dolorida”, explicou.

COMENTAR COM O FACEBOOK:
Não temos controle sobre os comentários pelo Facebook

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

?