Domingo, 20 de agosto de 2017 -

Endocrinologistas chamam atenção para Dia Nacional de Combate ao Colesterol

Compartilhe

Com objetivo de conscientizar a população sobre os riscos do colesterol alto, 8 de agosto foi instituído como o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. Neste ano, a campanha da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia segue o mote: “Colesterol no alvo: abrace essa ideia e proteja seu coração”. Médicos endocrinologistas associados à entidade alertam que muitos pacientes têm abandonado o tratamento medicamentoso, por conta da desinformação sobre os efeitos colaterais das estatinas. Mas o grande desafio para população ainda é a mudança no estilo de vida.

Todos os anos as doenças cardiovasculares fazem cerca de 17,5 milhões de vítimas ao redor do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Este número poderia ser reduzido com um efetivo controle do colesterol e da pressão alta, além de outras condições que contribuem para o aumento do risco de ataques cardíacos e derrames.

Os principais vilões que impactam em um colesterol alto são obesidade, sedentarismo, alimentação gordurosa, estresse, tabagismo, hipertensão e diabetes melitus. Praticar atividades físicas, evitar o consumo excessivo de gordura, consumir fibras, visitar regularmente um endocrinologista para acompanhar os níveis de colesterol são orientações importantes para manter o colesterol em níveis saudáveis. Outros fatores que influenciam o colesterol são herdados, como aumento genético do colesterol, além de história familiar de infarto em mulheres antes dos 65 anos e homens  antes dos 55anos.

Uso crônico das estatinas

Quem já teve um infarto ou tem alto risco de desenvolver doença cardíaca e apresenta placas de colesterol, é um candidato a uso crônico das estatinas. Segundo a endocrinologista Maria Augusta Karas Zella, médica que integra a diretoria da SBEM-PR, é importante desmistificar o risco desses medicamentos. “O endocrinologista, ao prescrever uma medicação à base de estatina para tratar o aumento do colesterol já avaliou os fatores de risco para o desenvolvimento da doença aterosclerótica, que leva ao entupimento das artérias”, pontua Maria Augusta. As diretrizes das Sociedades de Endocrinologia e Cardiologia estabelecem os alvos de tratamento do colesterol LDL, por isso é importante conversar com o especialista.

Ela explica que, hoje o infarto (IAM) e o acidente vascular cerebral (AVC) respondem por cerca de 2/3 das mais de 350 mil mortes cardiovasculares que ocorrem no Brasil a cada ano. “O paciente nunca deve abandonar o tratamento medicamentoso, porque está se colocando em risco. O endocrinologista ficará atento aos efeitos colaterais que estão associados ao uso crônico desses remédios e não usá-los quando indicados aumenta a mortalidade”, alerta a endocrinologista.

Mudança no estilo de vida

A aderência ao tratamento medicamentoso no paciente com colesterol alto é muito importante, mas no caso dos pacientes que também têm hipertrigliceridemia, o risco de mortalidade só será reduzido quando o paciente conseguir implementar mudanças no estilo de vida. “Sabemos que é difícil para todos, independente da faixa etária ou classe social, mas mudar o fator comportamental na maioria dos casos é mais importante do que o uso da medicação isoladamente”, alerta o endocrinologista Alexandre Carrilho, associado da SBEM-PR e palestrante do Congresso EndoSul 2017.

“Então é preciso que o paciente obedeça a dieta, faça exercícios, perca peso se ele tiver sobrepeso ou obesidade, que ele abandone o etilismo se ele tiver o hábito de consumo regular de bebida alcoólicas. Estas medidas são parte integrante do tratamento”, lembra o especialista. Segundo ele, pela dificuldade em corrigir alguns hábitos, esse é o tipo de educação que tem que começar na infância.

O que você precisa saber sobre o colesterol (*)

Embora muitas pessoas achem o colesterol uma substância maléfica, ele é primordial para o funcionamento do corpo humano. Para isso, no entanto, seus níveis devem estar sempre controlados. Confira informações importantes sobre o colesterol:

– O colesterol é um tipo de gordura (lipídio) encontrado em nosso organismo. Ele é fundamental para o funcionamento normal do organismo, sendo o componente estrutural das membranas celulares em todo nosso corpo. Ele está presente no cérebro, nervos, músculos, pele, fígado, intestinos e coração.

– O corpo humano utiliza o colesterol para produzir vários hormônios, vitamina D e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras. Cerca de 70% do colesterol é fabricado pelo nosso próprio organismo, no fígado, enquanto que os outros 30% vêm da dieta.

– Quando em excesso (hipercolesterolemia), o colesterol pode se depositar nas paredes das artérias, que são os vasos que levam sangue para os órgãos e tecidos, determinando um processo conhecido com arteriosclerose. Se esse depósito ocorre nas artérias coronárias, pode ocorrer angina (dor no peito) e infarto do miocárdio. Se ocorre nas artérias cerebrais, pode provocar acidente vascular cerebral (derrame).

– Manter uma vida saudável, praticando exercícios físicos e evitando comer alimentos gordurosos ajuda a evitar o alto colesterol. Parar de fumar também é uma atitude que ajuda a neste controle.

– Para fazer uma dieta visando o controle do colesterol prefira leite e iogurte desnatados, queijo branco fresco, ricota, cottage, queijos lights, peixes, aves sem pele, carnes magras, evitando sempre consumir gordura em excesso.

– O tratamento das alterações do colesterol deve ser mantido por toda a vida. Tanto os cuidados com a alimentação e exercícios, como o uso de medicamentos deverão ser empregados continuamente.

Compartilhe
COMENTAR COM O FACEBOOK:

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *