Rádio Clube De Blumenau Ações contra mosquito aedes aegypti continuam em Blumenau ⋆ Radio Clube de Blumenau Rádio Clube De Blumenau
AO VIVO
Terça-feira, 14 de agosto de 2018 -

Ações contra mosquito aedes aegypti continuam em Blumenau

 

FOTOAs ações de combate ao mosquito aedes aegytpi, transmissor da dengue, zika e chikungunya não param em Blumenau, por parte das equipes do Programa de Combate a Dengue e da Vigilância Epidemiológica. Mensalmente as 1244 armadilhas espalhadas pelo município são visitadas pelos agentes de combate ao mosquito, além das demilitações de foco e tratamento em áreas onde o inseto é encontrado.

Blumenau possui atualmente 31 focos controlados do mosquito. Os casos positivos de dengue, todos adquiridos em outras cidades, são 26. A vigilância Epidemiológica de Blumenau contabiliza ainda seis pessoas que contraíram a febre chikungunya e ninguém infectado pelo zika vírus. Em fevereiro, quando foi realizada uma grande mobilização pelo dia D de combate ao mosquito, o município contava com 11 focos e sete casos confirmados de dengue e um de chikungunya.

Ações intersetoriais também vêm sendo desenvolvidas desde o começo do ano no combate ao aedes, entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria de Serviços Urbanos (SESUR) e o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE). As principais atividades envolvem a retirada de materiais inservíveis de vias públicas, orientações nos cemitérios públicos e privados, orientação à população, atendimento às denúncias do sistema OuvidorSus, além de cadastramento e vistorias a novos pontos estratégicos e em imóveis. Os agentes comunitários de saúde também estão realizando visitas domiciliares nas áreas de cobertura de suas unidades de saúde, distribuindo material informativo de combate ao vetor. Mais de 33 mil residências já foram visitadas. Além disso, parte da equipe da vigilância epidemiológica realiza palestras em empresas privadas, levando esclarecimentos e informações aos funcionários.

“O trabalho dos nossos agentes deixa Blumenau hoje numa situação confortável em relação à quantidade de focos, frente a outras cidades do estado. Mas o poder público sozinho não consegue estar em todas as residências e comércios. Por isso é importante a participação de todos, não só cuidando do seu quintal ou terreno, como ajudando e orientando familiares e vizinhos”, relembra a Secretária de Saúde, Maria Regina de Souza Soar. As denúncias de possíveis locais de criadouros podem ser feitas pelo telefone da Ouvidoria da Saúde, o 3381-7770.

COMENTAR COM O FACEBOOK:
Não temos controle sobre os comentários pelo Facebook

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

?