Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017 -

Polícia Militar faz escolta no transporte coletivo após ondas de ataques

Compartilhe

Na tarde desta segunda-feira, dia 4, a Prefeitura de Blumenau e o Seterb promoveram uma reunião com as forças policiais da cidade, para alinhamento das ações que estão sendo feitas para garantir a segurança de usuários e trabalhadores do transporte coletivo urbano.

Desde a noite da última quinta-feira, dia 30 de novembro, ônibus vêm sendo alvo de ataques e, na sexta-feira, dia 1º, um veículo foi incendiado na Rua Belmiro Colzani, no bairro Progresso. Segundo informações do comandante do 10º Batalhão de Polícia Militar de Blumenau, tenente-coronel Jefferson Schmidt, as ações de quinta-feira foram coordenadas e executadas em um mesmo horário, em várias regiões da cidade.

Já o fato ocorrido na sexta, envolvendo a abordagem do ônibus no final da linha por agentes armados, que renderam o motorista e cobrador e incendiaram o veículo, não aparenta ter qualquer ligação com as outras ocorrências. Segundo Schmidt, a partir desta segunda-feira, viaturas da Polícia Militar passarão a acompanhar linhas e destinos, apoiados também por veículos descaracterizados. “A intenção é dar sensação de segurança aos usuários e aos trabalhadores do transporte e usar a inteligência da corporação para identificar quem está na liderança dessas ações”, afirmou.

O delegado Egídio Ferrari, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), informou que as investigações, no âmbito da Polícia Civil, foram abertas em duas frentes: uma, para investigar o incêndio do ônibus e, outra, para a apuração das ações de vandalismo que, segundo ele, “aparentam estar sendo empreendidas por uma organização criminosa, fato que levou a investigação para o âmbito da DIC”. Na reunião, coordenada pelo chefe de gabinete da Prefeitura, Marco Antônio Wanrowsky, e pelo presidente do Seterb, Carlos Lange, também esteve presente o representante da empresa Blumob, Maurício Garroti.

Compartilhe
COMENTAR COM O FACEBOOK:
Não temos controle sobre os comentários pelo Facebook

Comentar sem o Facebook

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *